COMEMORAÇÃO DA EMANCIPAÇÃO POLÍTICA RESGATOU A HISTÓRIA E A CULTURA DO POVO LUZIENSE - Paparazzo Sergipe
 
 
 
 

COMEMORAÇÃO DA EMANCIPAÇÃO POLÍTICA RESGATOU A HISTÓRIA E A CULTURA DO POVO LUZIENSE



17/02/16 10h36   Cidade Imprimir
O prefeito de Santa Luzia do Itanhi, Edson Cruz (PMDB), tem tido um comportamento político democrático e invejável por muitos gestores. Mesmo com poucos recursos, unicamente a sua visão é fazer a política em benefício da população luziense.
 
 
Há muito tempo estava distante dos munícipes, a realização das comemorações alusivas pela passagem da Emancipação Política. O povo tem lembrança, que esta festa só foi feita nos anos 60, na administração do prefeito Clementino, e de lá para cá, nunca mais se ouviu e viu nada para registrar essa data histórica e tão importante na vida do povo luziense.
 
 
Mas o prefeito Edson Cruz, que tem resgatado e inovado muitas atividades de ordem cultural, social, educacional e econômica no município, realizou com a sua equipe uma programação cultural para registrar os 181 anos da Emancipação Política.
 
 
Vale salientar, que mesmo não contando com a maioria dos vereadores na Câmara, tendo do seu lado apenas três parlamentares, o prefeito Edson Cruz, de forma ética, enviou convite para todos os vereadores e dos nove pares, apenas compareceram três. O morador do município, Ermínio Rodrigues, disse que os vereadores que fazem oposição ao prefeito estão fazendo politicagem. 
 
 
“Esses vereadores não estão olhando pelo bem da cidade, fazem oposição por fazer. Um momento deste de liberdade e conquista do povo, era para todos os vereadores estarem participando da solenidade, independente de lado partidário”, disse Ermínio.
 
 
A solenidade teve sua abertura no dia 13, no Centro Cultural. Primeiro houve uma explanação sobre como se implantar a Academia Luziense de Letras, que foi explicada pelo presidente da Academia Estanciana de Letras (AEL), Adonis Diniz. Logo depois, o professor Acrísio Gonçalves, falou sobre a Vida e a Obra, do poeta luziense, Pedro de Calazans, que era filho de dono de engenhos, formado em Direito e que fora Juiz e Promotor Público de Estância.
 
 
O Centro Cultural estava ocupado por pessoas que amam cultura. Ocorreu nesse mesmo dia, um recital poético pelos jovens Thalita e Abel, que interpretaram “Navio Negreiro”, do poeta baiano, Castro Alves.
 
 
No palco, teve ainda a execução do poema “Escuta”, de autoria do poeta Pedro de Calazans, que foi cantado pelo estudante, Flávio Severo, o qual recebeu os aplausos da plateia.
 
 
Antes, todos se posicionaram em pé, e entoaram o Hino de Santa Luzia do Itanhi, que é de autoria da professora Raimunda Andrelina, e que foi cantado pelos jovens Maria Cristina e Diego, ambos acompanhados pelos acordes sonoros da Filarmônica Nossa Senhora da Conceição , da cidade vizinha de Itabaianinha.
 
 
Já no domingo, 14, a programação da Emancipação Política, culminou com o desfile do Grupo Desbravadores Fonte de Esperança, organização da Igreja Adventista do 7º Dia, formado por vinte jovens do povoado Riacho do Marco.
 
 
Pela tarde, também no Centro Cultural, os moradores assistiram as peças teatrais: “O Mundo Maravilhoso das Historinhas Infantis” e “Tempoantigo de Mané”. As referidas peças foram interpretadas pelos grupos teatrais Arte Jovem (Rua da Palha) e Art Manha (Estância).
 
 
No dia 16, ponto alto da festa de Emancipação Política, quando o município completou 181 anos, na frente da Prefeitura, por volta das 8h30, aconteceu o hasteamento das bandeiras Nacional, Sergipe e do Município. Do ato, participaram o prefeito Edson Cruz, Zé Edivaldo (Ex-vice prefeito) e o vereador Ademir Albuquerque.
 
 
Estiveram na festa, todos os secretários municipais, servidores públicos, diretores de escolas e repartições públicas; os padres Diego Ávila e Genivaldo dos Santos; o ex-vice prefeito, Joel; o ex-presidente da Câmara, Val; o secretário de Urbanismo de Estância, João Oliveira e o povo em geral.
 
 
Após esta festividade, o padre Diego Ávila, pároco de Santa Luzia do Itanhi, realizou uma benção à cinco novos veículos, que foram comprados pela prefeitura. Depois, todos participaram da Missa em Ação de Graças, celebrada por Diego Ávila e concelebrada pelo padre Genivaldo.

Da Acessoria