BOMBEIROS ALERTAM PARA OS RISCOS DE ACIDENTES COM FOGOS - Paparazzo Sergipe
 
 
 
 

BOMBEIROS ALERTAM PARA OS RISCOS DE ACIDENTES COM FOGOS



24/06/17 02h11   Acidente Imprimir

O uso incorreto dos fogos de artifício pode causar cegueira, mutilação e incêndio

 

Com a chegada dos festejos juninos, as tradicionais brincadeiras com fogos de artifício já tomam conta das ruas da capital e interior do Estado. Preocupado com os riscos de acidentes, o Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe (CBMSE) faz um alerta à população, dando algumas sugestões de como brincar com fogos de maneira segura, prevenindo queimaduras.

 

De acordo com a assessora de comunicação do CBMSE, capitã BM Emanuela Cruz, além de queimaduras, o uso incorreto dos fogos de artifício pode causar cegueira, mutilação e incêndio. “O excesso de confiança é uma das maiores causas de acidentes. A melhor maneira de evitar um acidente é o cuidado. Quem estiver manuseando estes artefatos deve usar equipamentos de proteção, como luvas, e estar atento à classificação dos fogos. O ideal para crianças são os fogos do tipo A, com baixo teor explosivo”, diz.

 

Para usar corretamente os fogos, as pessoas devem tomar alguns cuidados, como soltá-los em locais abertos e longe da fiação elétrica, seguir as instruções contidas nas embalagens, não manusear os artefatos sob efeito alcoólico, não praticar brincadeiras como saltar a fogueira e não reaproveitar fogos que falharam.“Quando a bomba falha, as pessoas acham que o perigo acabou. Mas não. O ideal é esperar certo tempo, para só assim descartá-la em um local seguro”, ressalta a capitã Emanuela.

 

É proibida a venda de fogos de artifício para menores de 18 anos de idade, independentemente da classifificação dos fogos. Conforme a Instrução Normativa N° 001/2016 do CBMSE, as barracas de fogos não estão autorizados a vender fogos tipo espada, buscapé, pitú nº 03, bombas de breu, meio fogo, girândulas, rojões com mais de 1 polegada e meia e bombas de alto teor explosivo com numeração superior a 20. Também não é permitido o comércio de produtos separados das respectivas caixas, seja de qualquer natureza e de qualquer tipo de embalagem.

 

A capitã Emanuela Cruz adverte ainda que, em caso de acidente, o cidadão deve evitar tratamentos caseiros, como passar creme dental ou manteiga na queimadura. “O ideal é lavar o ferimento com água corrente e procurar imediatamente atendimento médico”, explica a capitã.

 

CBM/SE