Eduardo Amorim Vai Sustentar Seu Voto Contra A Reforma Trabalhista - Paparazzo Sergipe
 
 
 
 

Eduardo Amorim Vai Sustentar Seu Voto Contra A Reforma Trabalhista



03/07/17 08h28   Política Imprimir

O senador Eduardo Amorim (PSDB) disse nesta segunda-feira (03), na XodóFM, que estará em plenário do Senado, nesta terça-feira (04) votando “contra a reforma trabalhista”, como aconteceu na Comissão de Ação Social (CAS). Eduardo acrescentou que seu voto é ‘não’ por entender que a hora é equivocada e o momento não é de votar a reforma trabalhista: “eu primo pela coerência. Vou sustentar meu voto contrário”.

 

O senador tucanos explica que no plenário do Senado participam os 81 senadores e “é o que prevalece”. Para Eduardo, “com toda certeza, o Governo vai atuar e vai ser difícil a reforma trabalhista não ser aprovada”.

 

– Meu mandato é do povo de Sergipe. Voto não é mercadoria. Voto é consciência de cada um. E tem consequências, disse.

 

Eduardo Amorim deixou claro que “não é verdade que sofri retaliação do PSDB. Tasso Jereissati [presidente nacional do partido] me disse: se o senhor tiver que sair eu saio primeiro”, explicou o senador.

 

Sobre nomeações no Governo Federal, Eduardo Amorim disse que César Madarino foi a primeira pessoa que indicou para exercer um cargo federal no atual Governo, como diretor da Codevasf em Sergipe: “Ele tem 37 anos de funcionalismo público e foi uma indicação técnica”.

 

O senador Eduardo Amorim não se considera um político espalhafatoso. Não gosta de chegar a algum lugar e mostrar que chegou: “sou simples e meu jeito é mais tímido”. Diz que quer oportunidade e pede a “Deus e ao povo que não me dê a chance de outro mandato se não for para fazer o bem”.

 

Para o Senado, não se está vivendo um ano eleitoral. É um ano de ajudar o “nosso Estado e o nosso País”. Admite que o deputado federal André Moura (PSC) está fazendo o que um parlamentar tem que fazer, que é “ajudar sem olhar a quem”.

 

No final faz uma pergunta e ele mesmo responde sobre o salário dos servidores: “por que o Governo do Estado não paga em dia? Porquê não tem prioridade”.

Com informações do FAXAJU