Presidente André Graça e prefeito Gilson Andrade vistoriam Pontes de Estância



07/01/18 10h11   Estância Imprimir
Na manhã desta quinta-feira (04), o presidente da Câmara Municipal de Estância, André Graça (PSL) acompanhou o prefeito Gilson Andrade (PTC) em uma visita técnica às Pontes da zona rural.  A equipe foi composta do secretário de Obras, Lindo Johnson, do técnico da Defesa Civil, José Roberto e do vereador Tertuliano Pereira.
 
 
Foram vistoriadas pontes dos povoados Mato Grosso, Grotão, Cupim, das colônias Entre Rios e Estancinha. As referidas são de grande importância para essas comunidades que além da mobilidade dos moradores, são utilizadas para o transporte da produção agrícola tal  como laranja, mandioca, macaxeira, maracujá, coco, milho, hortifrutigranjeiros.
 
 
O presidente André Graça viu in loco a situação das pontes, como a estrutura, as cabeceiras danificadas, o madeiramento inadequado e ficou preocupado com o iminente risco de acidente.  
 
 
- O que mais chama atenção é que mal tem dois anos que foram reformadas, certamente, não era para estarem dessa forma. Aqui se vê material inadequado, a gente vê pilares de madeira inclinados, cabeceiras quebradas, longarinas trincadas. Recebi o convite do prefeito para acompanhá-lo nesta visita, juntamente com o vereador Tertuliano e estou feliz em vê o empenho do prefeito na buscar de uma solução paliativa antes do inverno, porém, com o desejo de elaborar Projetos e  construir  novas  pontes em concreto”, enfatizou.
 
 
Essas  pontes  passaram por reforma na gestão anterior.  Há cerca de seis meses a ponte da Colônia Entre Rios/Estancinha desabou com o peso de um caminhão. As demais exibem um quadro que carece de reforço ou reforma. Com a inspeção técnica, viu-se claramente que a maioria dessas pontes mais parece sepulcro caiado, uma espécie de capa-sapo ou arapuca, aparentemente  sem nenhuma engenharia.  
 
 
O prefeito Gilson Andrade salientou que a avaliação feita nesta quinta-feira (04) teve como finalidade fazer um levantamento para que posteriormente sejam adotadas ações preventivas, logo, elaborar projetos e depois substituir as atuais pontes de madeiras por pontes de concreto, por conseguinte,  tem que ir em busca de recursos.
 
 
 
Ascom CVE