Gilson Andrade: “Se é que se pode lavar a alma, eu ontem fiquei de alma lavada”



16/11/20 09h48   Estância Imprimir

“Há mais de ano que venho sofrendo agressões, tentaram denegrir a minha imagem, tentaram desqualificar todo o nosso trabalho feito neste mandato; desde o ano passado que uma equipe em Estância tenta me destruir politicamente, jogando baixo em todos os aspectos. Para ter ideia, uma entrevista combinada em uma rádio da cidade foi cancelada, na Radio Esperança,  de doutor Ivan Leite. Eu entendi perfeitamente qual era o recado. Mas, preferi não externar para a população isso”.

 

 “A Rádio Esperança passou a ter como único alvo denegrir a gestão municipal e a pessoa de Gilson Andrade. Bem como,  o ex-prefeito Carlos Magno, que após perder a eleição de 2016, passou a ter  único objetivo: me destruir politicamente”, relatou GA.

 

 “O Ex-prefeito Carlos Magno se somou ao projeto de Márcio Souza, seguido da adesão do deputado Valdevan 90. Eu não permiti que  Valdevan  90 tomasse conta da prefeitura de Estância. Se eu tivesse permitido estaria me elogiando ou fazendo vídeo dizendo que eu era o melhor prefeito. Quando se elegeu deputado exigiu de mim 30 cargos na prefeitura, eu estava obedecendo o limite prudencial, não podia  cometer  essa irresponsabilidade. Em função disso rompeu comigo  e passou a me tratar  como  inimigo político”, frisou GA.

 


“EU LAMENTO O QUE IVAN FEZ COMIGO. FOI JOGO BAIXO, FOI JOGO SUJO”

“Nas vésperas das convenções chegou Ivan Leite para fortalecer  esse projeto do vale-tudo. A turma de Ivan  passou a me agredir, inclusive, pessoas  que  estavam comigo fazendo a gestão,  pelo motivo do seu chefe não estar mais comigo,  passaram a me denegrir,  a jogar baixo demais, lamentável”, expôs.

 

Foi trazendo esse desafogo que Gilson Andrade concedeu a primeira entrevista de rádio depois de reeleito prefeito, na FM Marazul, 104,9, ao radialista Dussantus (Dissanti), na manhã desta segunda-feira, 16.

 


Ivan Leite era o dono do campo e o dono da bola


“Você, Ivan, era o dono do campo, você era o dono da bola,  por isso você era sempre escalado quando você chagava  das férias em São Paulo com suas duas faculdades, como tanto fala; o campo era seu e a bola era sua, embora, você nunca foi um bom jogador; Estância, Ivan, demonstrou  que não é sua, você não manda no povo de Estância.  Você queria ser o único prefeito  reeleito na história política  de Estância, já não é mais”, realçou.

 

“O grupo de Ivan, nas redes sociais,  me atacou de tudo que é jeito; Ivan pegava o microfone, como se fosse ele o candidato,  nas ruas e esquinas, me chamou  de ladrão por diversas vezes, inclusive, nas redes sociais. Não cometi desvio algum.  Um  homem como Ivan, com 3 formatura de nível superior, inclusive, bacharel em Direito, desceu demais; você baixou demais o nível dessa campanha. Jamais eu imaginaria que Ivan seria capaz de fazer o que fez.  Estância ficou perplexa com as ações de Ivan nesta campanha eleitoral”, frisou.

 

“Ivan, nesses 45 dias,  ligou  para as pessoas, começou a intimidar as pessoas que ele achava  que deveriam  ser submissas a ele eternamente, tais como quem trabalhou para ele ou foi secretário da gestão dele;  ele toma suas atitudes  e quer que  todos o sigam. Não é assim,  Estância é diferente, Estância não se vende e não se rende, é um povo que não aceita imposição. Taí o resultado”, acentuou.

 

“Se é que se pode lavar a alma, eu ontem  fiquei de alma lavada. As forças poderosas de Estância  se uniram , forças  antagônicas, arrotaram  prepotência, arrotaram arrogância,  o poder, o dinheiro, não prevaleceu.  Prevaleceu, sim, a vontade soberana do povo estanciano”, reforçou.

 

O trabalho de Gilson Andrade como prefeito foi reconhecido pela população  e lhe rendeu a soma de 18.867 votos, derrotando o candidato do PSOL, o militar Márcio Souza e todos  os seus apoiadores.  

 

Com o radialista "Dissanti"


Com a equipe de jornalismo da FM Marazul


Com eleitor que posa para foto


Recebido pelos servidores municipais com aplausos



 


Parabólica News

Por: Genílson Máximo