Prefeitura intensifica ações de revitalização das estradas da zona rural



17/03/21 10h05   Estância Imprimir

Proporcionar estradas adequadas para o tráfego da zona rural é uma das ações de primazia da Administração Pública de Estância. O município é composto de 68 comunidades entre assentamentos, colônias, povoados, esses, interligados por quilômetros de extensão de estradas de chão. Para atender a essa demanda a Prefeitura adquiriu máquinas apropriadas para o citado serviço: caçambas, patrol, enchedeira, trator rolo compressor, caminhão plataforma, caminhão-pipa.


A Gestão Municipal tem empreendido esforços para a aquisição desses equipamentos, muito úteis, para o emprego na revitalização das vias que ligam uma comunidade a outra.


Na segunda-feira (15) os trabalhos foram realizados na Estrada que interliga comunidades afins tais como: Mato Grosso, Vertente, Entre Rios, Estancinha, São José, Euvaristo e Agrossul. A citada via é coadjuvante no escoamento da produção rural, bem como via alternativa do ir e vir entre os moradores.


A referida via recebeu os serviços de alargamento, nivelamento, empiçarramento, compactação do solo. De janeiro até o presente a Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria de Infraestrutura e Habitação, atendeu as seguintes comunidades: assentamentos Maravilha, Fusquinha, Geraldo Garcia; povoados Miranga, Junco, São João, Massadiço, Araçás, Junco.


De acordo com o senso do IBGE a população estanciana está estimada em 70 mil habitantes. Desse total 15% habita à zona rural – 10.500 pessoas. A estes a Prefeitura tem garantido políticas públicas tais como: recuperação e construção de pontes, revitalização das estradas, reposição da iluminação pública, construção e reforma de unidades de Saúde da Família, pavimentação de colônias, vacinação de animais de cargas, beneficiamento bovino (inseminação artificial), entre outras.


As estradas rurais possuem extrema importância econômica, social e ambiental, pois são responsáveis pelo acesso da população rural a serviços básicos como educação, saúde e lazer e pelo escoamento da produção agrícola e, consequentemente, pelo abastecimento das zonas urbanas.

Fonte: SECOM